18 de setembro de 2020

Departamento de Justiça apreende milhões de dólares em criptomoedas supostamente ligadas ao terrorismo

Departamento de Justiça apreendeu contas de criptomoedas que alega estarem associadas a três campanhas de terrorismo. A operação foi detalhada na quinta-feira, quando uma denúncia criminal foi aberta no Distrito de Columbia. Sob mandados, as autoridades apreenderam mais de 300 contas de criptomoeda , quatro sites, quatro páginas do Facebook e milhões de dólares. É a “maior apreensão de criptomoeda já feita pelo governo dos Estados Unidos no contexto do terrorismo”.

Os grupos visados ​​pela apreensão foram a Al-Qaeda; Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIS); e as Brigadas al-Qassam, a ala militar do Hamas. As três campanhas supostamente solicitaram doações de criptomoedas em todo o mundo, de acordo com o DOJ.

A Al-Qaeda usou uma rede de lavagem de dinheiro bitcoin que operava por meio do aplicativo de mensagens Telegram e da mídia social, afirma o DOJ. Ele também alegou que a campanha do ISIS usou fraude relacionada à pandemia COVID-19 , ganhando criptomoeda com a venda de equipamentos de proteção individual falsos, como máscaras N95.

“Nossos inimigos usam tecnologia moderna, plataformas de mídia social e criptomoeda para facilitar suas agendas malignas e violentas”, alegou o procurador-geral William P. Barr. “Vamos processar a lavagem de dinheiro, o financiamento do terrorismo e as atividades ilegais violentas onde quer que os encontremos.”

O DOJ trabalhou ao lado do Departamento de Segurança Interna, do FBI, do IRS, do Ministério Público e da Divisão de Segurança Nacional de DC. Os fundos apreendidos podem ser usados ​​para o Fundo de Terrorismo Patrocinado pelas Vítimas do Estado dos EUA assim que o caso for concluído.

 

Show Buttons
Hide Buttons